sexta-feira, 22 de março de 2013

Patrimônio Cultural e Cidadania - Resumo da Aula



22/03/13  - Memória e Patrimônio – Jacques Le Goff

Na atualidade reconhece-se a oralidade como forma de guardar a memória, os mitos de origem, lendas – bruxas, lobisomem(reconhecidas como patrimônio imaterial)
  • Memória escrita -  “necessidade ostentação durabilidade de uma memória lapitar e marmórea.” (LE GOFF, 1992, p.432)
  • Monumentos comemorativos

Memória – mundo antigo
  • Evolução da oralidade para a escrita]ligada à evolução social e ao desenvolvimento urbano
  • Necessidade de fixar normas de convivência social, aquilo que “    não é fixável na memória de modo completo (LE GOFF, 1992, p.433)
  
FATOS QUE DEVEM ULTRAPASSAR AS GERAÇÕES
  • A religião
  • A história
  • A história
  • A geografia
  • “o triplo problema do tempo, do espaço e do homem constitui a matéria memorável”. (LEROI-GOOURHAN, op cit. LE GOFF, 1992, p;433)


DIVINIZAÇÃO DA MEMÓRIA: GRÉCIA
  • Mnemosine – Deusa, mãe de 9 musas (da história, da música, da dança, da poesia romântica, da poesia lírica, da astronomia e astrologia, da comédia, da tragédia e da alegria, da eloquência)
  • Seu templo chamava-se MUSEU.

MNEMOSINE
·       Antídoto para o esquecimento, fonte de imortalidade
·       Esquecimento = morte, fim
·       Poetas tinham o poder da memorização.

MUNDO ANTIGO



·      Necessidade de lembrar -  desenvolvimento da mnemotécnica                                                                    
·      Memória das coisas – lugares, objetos                                                                    
·      Memória das palavras = símbolos     
           Ex: decorar tabuadas, poemas, regras 

                        
          DOMNATIO MEMORIAE
·      Danação da memória – Roma antiga. Apagar os vestígios dos imperadores em todos os documentos possíveis: “ao poder pela memória responde a destruição da memória.” (LE GOFF, 1992, P. 442)
Ex. Destruição da estátua de Sadam
·      Prática exercida pelos egípicios
·      Considerada pelos judes a maior praga

MEMÓRIA – MEDIEVO
·      Influência do cristianismo
·      “o ensino cristão é memória, o culto cristão é comemoração” (LE GOFF, 1992, p. 445)
·      Ligação entre Morte e Memória
·      Veneração aos velhos: homens-memória
·      Homens “ausentes da memória” (p. 449-450) – pessoas eu davam seu testemunho lembrando de coisas/fatos que os outros não lembravam.
Ex: Genealogia bíblica, missa do galo, suplício de Cristo, cemitério – lápides (mostrando quem foi aquela pessoa),  (céu e inferno)
(Todo mundo que está no poder quer deixar a sua marca ou apagar a do anterior, tem como interesse profundo perpetuar a memória) – povo japonês ainda hoje cultua os mais velhos e sua experiência



MEMÓRIA URBANA

·      Identidade coletiva, comunitária
·      Literatura – canções de gesta (herói épico)
·      Arquivos
·      Ensino
CONCEITO DE MEMÓRIA NO SEC XIII

·      A memória é um glorioso e admirável dom da natureza, através da qual reevocamos as coias passadas, abraçamos as presentes e contemplamos as futuras, graças à sua semelhança com as passadas

MEMÓRIA CRISTÃ

·      Memória do paraíso
·      Memória do inferno
·      Bom e mau governo  (Alegoria do bom e mau governo – Ambrogio Lorenzetti – afresco)
·      Lugares de memória

MEMÓRIA EM REEXPANSÃO - RENASCIMENTO
·      Imprensa
·      Método ao invés de decorar
·      Enciclopédia (Séc. XVIII) – grande obra de memória onde todo o conhecimento deveria ser compilado


REVOLUÇÃO FRANCESA

·      Retorno da memória dos mortos -  romantismo
·      Explosão do espírito comemorativo
·      “serão estabelecidas festas nacionais para conservar a recordação da Rev francesa  - constituição francesa de 1791 – expansão dos museus, cada vez mais comuns
·      Manipulação da memória

SÉCULO XIX – Revolução na memória
·      Ampliam-se as comemorações
·      Retorno de estátuas, monumentos
·      Souvenirs, turismo
·      Arquivos, bibliotecas e museus: públicos e nacionais (Louvre)
·      Fotografia: álbuns de família, postais, (da metade do século em diante torna-se um desejo a fotografia)

SÉC XX
·      Memória eletrônica – computador só guarda aquilo que  gente quer... é uma seleção
·      Computadores considerados de memória “ilimitada”: escrita, memória e leitura
·      “auxiliar” da memora humana, não age sozinha.

EXPANSÃO DA MEMÓRIA
·      Importância da Interdisciplinaridade
·      Filosofia
·      Literatura
·      Psicologia
·      História Nova, cultura, oral
·      Direito

LUGARES DE MEMÓRIA (NORA)
·      Topográficos: arquivos bibliotecas, museus
·      Monumentais: cemitérios, arquiteturas
·      Simbólicos: comemorações, peregrinações, aniversários, emblemas, logotipos
·      Funcionais:  manuais, autobiografias, associações

DESAFIOS DO SÉCULO XXI
·      Memória – identidade
·      Memória – poder

·      “Devemos trabalhar de forma a que a memória coletiva sirva para a libertação e não para a servidão dos homens”.  (LE GOFF, 1992, P.477)

"Vivemos em um tempo de excesso de patrimonialização"



LE GOFF – CITAÇÕES


“A memória liga-se a vida social. Esta varia em função da presença ou ausência da escrita.” (Le Goff, p.419)

“A memória coletiva faz parte das grandes questões das sociedades em via de desenvolvimento, das classes dominantes e das classes dominadas, lutando pelo poder ou pela vida.”

“A memória é um elemento essencial do que se costuma chamar de identidade, individual ou coletiva, cuja busca é uma das atividades fundamentais dos indivíduos e das sociedades de hoje, na febre e na angústia.

“Mas a memória coletiva é não somente uma conquista, é também um instrumento e um objeto de poder.”

“ A ignorância argumenta e expõe, enquanto o conhecimento medita e age. Todo palrador revela algo de insensatez, diante do necessário silêncio de quem se identifica com os fatos antes que com as palavras.”        (Vitor Hugo)

Prof. Sandra Guedes

Nenhum comentário: